Família e Carreira

Mulher-polícia rejeitada do corpo de elite da PSP. Conheça a história!

28 Fevereiro, 2018

Polícia

Um caso recente que envolve a GNR e a PSP está a dar que falar pela rejeição de uma mulher no Corpo de Intervenção da PSP.

Marisa Pires é subcomissária da PSP e poderia ter-se tornado a primeira mulher a integrar o Corpo de Intervenção da PSP, se não fosse afastada do curso de formação sem qualquer justificação apresentada por parte dos superiores.

Recentemente, a GNR usou as redes sociais para fazer uma publicação onde refere a inclusão de mulheres nas unidades de elite.

«Porque o lugar da mulher é onde ela quiser… apresentamos a cabo Suse Franco do Grupo de Intervenção de Ordem Pública», pode ler-se na página oficial de Facebook da GNR.

Porque o lugar da mulher é onde ela quiser… apresentamos a Cabo Suse Franco do Grupo de Intervenção de Ordem Pública

Publié par GNR – Guarda Nacional Republicana sur mercredi 28 février 2018

A mensagem surgiu depois de ser divulgado o caso da não admissão da subcomissária da PSP, o que levantou questões quanto à publicação feita pela GNR.

LEIA TAMBÉM: Jovem rapta e agride brutalmente namorada em casa

No entanto, fonte oficial da GNR já veio esclarecer que não existe relação entre ambos os casos, explicando que se «trata de uma das iniciativas no âmbito do dia da mulher [8 de março] e que, tal como a GNR tem feito noutros anos, as redes sociais são um meio para as promover».

A mesma fonte referiu ainda que a integração da cabo Suse Franco no Grupo de Intevenção de Operações Especiais da GNR (GIOE) não é novidade. «É algo público que já foi divulgado várias vezes com o objetivo de promover a igualdade de género», conclui.

partilhar | 0 | 0