Sem categoria

Fátima Lopes faz confissões sobre o amor que «há muito morreu por dentro»

13 Fevereiro, 2018

A apresentadora da TVI fez várias revelações sobre o amor.

«Sempre fui uma pessoa que acreditou e acredita no amor. Nos meus tempos de adolescente, vibrava com os filmes românticos, onde quem se amava acabava sempre por ultrapassar ventos e marés, acabando por ficar juntos», começa por escrever Fátima Lopes no seu blog Simply Flow by Fátima Lopes.

O aproximar do Dia dos Namorados tem levado a apresentadora a falar sobre amor e a dar dicas para a data especial. Mas este texto faz algumas revelações.

Apesar de se confessar um romântica, Fátima revela que nunca foi fácil de conquistar e que por isso teve poucos namorados.

«Sempre fui exigente nos afectos, porque sentia que abrir o coração para deixar que alguém entrasse, era algo mágico. A idade adulta foi trazendo mil e uma aprendizagens. As coisas menos boas que fui vivendo, consegui integrá-las enquanto experiências necessárias para o meu crescimento e amadurecimento», escreve. «Sou hoje, mais do que nunca, uma mulher plenamente convicta que o amor verdadeiro existe e pode ser duradouro. Não tem de ser para a vida toda. É preciso é que, enquanto existe, seja pleno, faça sentido e nos deixe os olhos a brilhar», continua.

«Quando um amor se perdeu por fora, há muito que morreu por dentro»

Separada de Luís Morais desde setembro do ano passado, Fátima Lopes fala ainda sobre como os casais e as relações amorosas estão diferentes.

«Há muita coisa que mudou para melhor. A liberdade com que se pode viver numa relação a dois, a capacidade de afirmação da vontade própria perante o outro, a existência de uma imensidão de coisas que se podem fazer a dois, para alimentar a relação. Outras mudanças não foram assim tão positivas. Hoje em dia há uma impaciência generalizada e uma busca da perfeição em quase tudo. O que quero eu dizer com isto? Que se tem muitas vezes um grau elevado de intolerância para com o outro, com as suas particularidades, as suas coisas únicas, que podem não ser melhores ou piores que as nossas. São simplesmente suas e tem direito a elas. Quando se inicia a relação as tais particularidades têm piada, mas com o passar do tempo, cansam e irritam até. O perigo está na hipervalorização de pequenas coisas que acabam por desencadear discussões muitas vezes injustificadas e que, uma atrás da outra, provocam desgaste e afastamento. Quando um amor se perdeu por fora, há muito morreu por dentro», desabafa a apresentadora.

Recorde-seque Fátima Lopes pôs fim ao casamento de 12 anos com Luís Morais.

«A nossa história, que foi muito bonita, segue agora com a amizade que ficou e com a educação do nosso querido filho», disse, à data. Da história de amor da apresentadora e do enfermeiro nasceu Filipe, de oito anos.

 

partilhar | 0 | 0