Amor e Sexo

Amor: 3 caraterísticas tóxicas que significam que tudo irá correr mal

11 Maio, 2024

Amor: 3 caraterísticas tóxicas que significam que tudo irá correr mal

Especialista em relações partilha três características tóxicas que são sinal de que é melhor acabar tudo. É importante saber se as outras pessoas são assim ou se está a fazer isto a alguém.

Quando uma história de amor está a começar muitas pessoas tendem a ignorar caraterísticas tóxicas que se destacam nos outros. Cegos pela fase brilhante do início da relação, acabam por deixar escapar detalhes que mostram que tudo deveria acabar naquele momento. Quem o defende é Kate Mansfield, uma especialista em relações.

Leia ainda: 4 signos que amam pessoas que desejavam ser

Veja o primeiro vídeo do filho de Kelly Bailey e Lourenço Ortigão

Que partilha com a Femail três comportamentos de “características tóxicas” que nunca devem ser ignoradas Defende Kate Mansfield que identificar aquilo que se segue é “crucial, especialmente se tem um padrão ou histórico de escolher pessoas erradas ou relacionamentos abusivos ou prejudiciais”. Segundo a especialista, é importante detetar estes comportamentos nas outras e perceber também se os tem em relação aos outros.

1 – Evitar a pessoa
Defende a especialista que nem sempre é fácil detetar este comportamento que se pode manifestar de forma subtil. Alguns exemplos são os de pessoas sempre ocupadas para evitar a solidão. Que passam muito tempo a ver séries e que se comprometem mais com amigos e família enquanto relegam a vida amorosa para segundo plano.

Alguns casos exigem ajuda profissional

2 – Obsessão e fantasia
“É aqui que projetamos quem queremos que alguém seja. Em vez de dedicarmos algum tempo para conhecer a pessoa”, diz. “Faça algumas regras para si, como não permitir que mensagens de texto aconteçam durante mais de uma semana”, acrescenta. Recomendando chamadas telefónicas e encontros pessoais, como para beber um café. Isto de modo a que exista uma ligação com alguém.

3 – Ansiedade e apego ansioso
Salienta a especialista que muitas pessoas que sofrem com problemas de abandono tendem a ser “carentes, pegajosas e ansiosas”. “Os comportamentos incluem assumir um compromisso cedo demais e ter limites fracos”, prossegue. Defende Kate que estas pessoas devem procurar ajuda profissional. E procurar preencher a vida com coisas divertidas, hobbies e novos amigos.

Texto: Bruno Seruca
Fotos: Shutterstock

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0