Amor e Sexo

Como pôr fim aos ciúmes? 15 dicas que vão ajudar a controlá-los

16 Maio, 2024

ciúmes

Nem sempre é fácil controlar os ciúmes, mas, se sente que as inseguranças estão a colocar em risco a estabilidade da sua relação, fique com alguns conselhos.

Nem sempre é fácil conseguir controlar os ciúmes, especialmente se nos sentimos frágeis e inseguras em relação ao nosso companheiro. De acordo com os especialistas, trata-se de um sentimento normal, desde que não seja em excesso.

O primeiro passo consiste em fazer uma avaliação de forma a perceber se se trata de um sentimento que está presente no seu dia-a-dia. É habitual zangar-se com o seu companheiro por motivos sem importância? Costuma mexer no telemóvel dele? Vigia-lhe as redes sociais? Sente-se ameaçada sempre que ele fala com mulheres? Se se preocupa com a traição com frequência, então alguma coisa está errada na sua relação. Se quer mantê-la saudável, está na altura de ler este artigo e seguir os nossos conselhos de forma a controlar os ciúmes.

Concentre-se na sua autoestima

Na grande parte das vezes, os problemas partem da nossa cabeça e, se não estiver bem consigo própria, mesmo que tenha ao seu lado um homem carinhoso e apaixonado, de nada lhe vai valer. Para começar, reflita e constate se as suas crises de ciúmes se verificam porque acredita que o seu companheiro está interessado noutras mulheres ou é você que se compara a elas. As suas inseguranças têm origem no olhar do seu companheiro ou na sua baixa autoestima? Já ouviu falar em empoderamento? Olhe para si e valorize as suas características, sinta o poder da sua autenticidade, explore os seus encantos. Se gostar de si, os outros vão sentir isso e será capaz de inspirar afeto.

Esqueça as relações passadas

Já pensou que talvez os seus ciúmes se devem ao facto de ter sido traída no passado e que se está a proteger? Coloque um ponto final nesses pensamentos. Lembre-se que está numa nova relação e que, acima de tudo, as pessoas são diferentes. Não é justo considerar o seu companheiro uma extensão do anterior. Evite fazer comparações entre os dois.

Compreenda a história de vida dele

Tem receio que ele ainda goste da ex-namorada e que a qualquer momento queira voltar para ela? Nem todas as relações terminam de forma traumática. É natural que tenham ficado amigos e que até se falem de vez em quando, mas isso não significa que queiram voltar um para o outro. Se eles conversam e isso a incomoda, nada melhor do que dialogar e expor-lhe o seu ponto de vista. Não deixe que lembranças do passado interfiram com o vosso presente.

Estabeleçam limites

Lembre-se que não é por esconder aquilo que sente que vai parar de ter ciúmes. Se fingir que está bem, quando na realidade não é isso que acontece, só vai perturbá-la ainda mais e não beneficiará em nada a relação. É bem possível que vos leve a desentenderem-se no futuro. Seja transparente desde o início. Numa relação importa o bem-estar dos dois, por isso é que é tão importante conversarem sobre os limites de cada um. Combinem o que seja favorável para ambos, de forma a viverem em harmonia. Nunca apele à chantagem emocional, pois não resulta.

Não fique a pensar nos contos de fadas

Se já não é bom quando comparamos o companheiro com o nosso ex, imagine compará-lo a uma idealização! Todas as pessoas são diferentes e se fizer isso o mais certo é que seja impossível ser feliz. Lembre-se que o amor em perfeita sintonia, a devoção absoluta e o romantismo a toda a hora só acontecem nos filmes e nas redes sociais. Na vida real, as coisas não são assim, com essa intensidade. Na vida real, as pessoas são desatentas, têm formas diferentes de expressar o amor e têm outras preocupações e compromissos que estão muito para além da relação. Nada melhor do que ter os pés bem assentes na terra. Não deixe que a fantasia a faça sofrer com ciúmes que não fazem parte da sua realidade.

Tenha noção da realidade
Há uma série de situações que tem de perceber e aceitar para não ficar a sofrer com ciúmes que não fazem sentido, tais como: é normal que ele ache outras pessoas bonitas, que precise de passar algum tempo sozinho, que faça amizade com outras mulheres, que saia com os amigos sem a sua presença. Estas situações são normais e valem tanto para si como para ele. Não permita que alguma delas lhe soe a infidelidade. Lembre-se que, antes de serem um casal, são duas pessoas, dois indivíduos diferentes.

Mantenha a sua individualidade
É certo que quando iniciamos uma relação seja tudo um mar de rosas e que só nos apeteça estar com ele, mas com o passar do tempo é provável que não funcione. Vocês não precisam de estar juntos o dia todo, manter contacto a toda a hora, pois pode tornar-se sufocante. O melhor é ter os seus momentos e ele, os dele, não abdique dos seus hobbies, mesmo que sejam diferentes dos dele, mantenha o seu círculo social, a sua privacidade. Lembre-se que quando não se anula é mais fácil controlar os ciúmes.

Coloque-se no lugar do outro
Uma forma que tem para controlar os ciúmes passa exatamente por, cada vez que estiver prestes a ter uma crise, colocar-se no lugar do outro. Pense bem: se fosse ao contrário, ia reagir da mesma forma? Ia fazer o mesmo tipo de julgamento? Pois… Provavelmente, não. Seja empática. Esse é um bom caminho para controlar os ciúmes e inseguranças.

Seja mais confiante
Já pensou porque é que vocês estão juntos? Na realidade, é porque gostam da companhia um do outro. Foram vocês que se escolheram. Sempre que tiver ciúmes lembre-se deste raciocínio que é simples e objetivo: o que vos mantém unidos não é a ausência de contacto com outras pessoas, mas, sim, o prazer que sentem na companhia um do outro. É o bem-estar que a relação representa que é responsável pela fidelidade.

Não provoque ciúmes
É uma má estratégia querer que ele sinta o mesmo que você sente só porque tem ciúmes. Não é propagando a insegurança no outro que vai ajudá-la a lidar com a sua. O que provavelmente acontecerá é que se crie um clima de desconfiança generalizado que poderá ditar o fim da relação.

Organize as suas ideias
Experimente escrever numa folha de papel todas as coisas que lhe passam pela cabeça, de forma a organizar melhor as suas ideias. Deste modo, terá mais clareza sobre os seus pensamentos e com certeza conseguirá acalmar-se.

Seja mais positiva
Saber controlar os ciúmes assim que eles surgem é uma técnica que funciona bem. Lembre-se que as suas atitudes são o espelho dos seus sentimentos e, se ficar irritada e com raiva do seu companheiro, estará a perder a oportunidade de viver uma relação feliz. Cabe só a si mudar o rumo da sua história, por isso não vale a pena tirar conclusões precipitadas e seja mais positiva.

Evite acusações
As ciumentas têm uma imaginação muito grande. Se ele não atendeu a sua chamada é provável que lhe passe pela cabeça que é porque está com alguém, o que aos seus olhos se pode transformar na certeza de traição. Controle os seus pensamentos, pois eles não provam nada. Nada melhor do que uma boa conversa entre os dois, em que deve expor as suas inseguranças.

Admita os seus medos
Não é uma pessoa mais frágil se for capaz de admitir que precisa de controlar os ciúmes, antes pelo contrário. O maior erro é omitir isso do seu companheiro, uma vez que, se não conversar com ele a esse respeito, ele irá achar estranhos alguns dos seus comportamentos. Todas nós temos pontos fracos. Somos humanas. Admiti-los permite que o seu companheiro a possa ajudar a ultrapassar esse obstáculo.

Procure ajuda
Se chegou aqui, seguiu os nossos conselhos à risca e não conseguiu libertar-se dos ciúmes, é bem provável que necessite de ajuda. O melhor é mesmo procurar um psicólogo, de forma a evitar prejudicar a sua relação.

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0