Amor e Sexo

Psicoterapeuta revela as verdades que devemos «esconder» numa relação

4 Dezembro, 2019

casal pixabay

Vivemos com a ideia de que não se deve mentir, mas nem sempre isso é assim tão linear. Nas relações, uma verdade pode magoar mais do que uma mentira.

«Durante um ano, um colega de trabalho assediou-me. Chegou a dizer-me que estava apaixonado por mim e que eu devia deixar o meu marido. Eu brincava com aquele assédio e confesso que me fazia bem ao ego, mas nunca correspondi às suas investidas e muito menos alimentei os sentimentos dele. Houve uma altura que pensei em partilhar isto com o meu marido, porque sempre prometemos contar tudo um ao outro, mas depois achei que o melhor era ficar calada, eu não sentia nada por aquele rapaz e nunca houve nada entre nós. Então, para quê contar uma coisa que poderia vir a prejudicar realmente o meu casamento, criar dúvidas e inseguranças no meu marido? Hoje, sei que foi o melhor que fiz, até porque aquele colega acabou por deixar a empresa.»

O relato é de Margarida, 34 anos, e é apenas um exemplo de casos de mentiras ou omissões na vida a dois. Como nos diz a psicóloga Elisabete Mechas, «os casais não estão imunes à mentira. Isso é impossível», assume.

«Não estamos preparados para o conflito»

Na realidade, a especialista em psicologia, sobretudo na área do casal, garante à nossa revista que as mentiras fazem parte de qualquer relação social e, por isso mesmo, existem no foro da vida íntima. Mais, a psicóloga garante que numa relação de intimidade não existe, de facto, nenhuma obrigação em dizer-se tudo o que se sente.

«Na relação de intimidade, não quer dizer que tudo tenha de ser dito. A mentira faz parte da vida social, um pouco porque isso nos permite ter uma vida privada e estar com os outros. Não é suposto dizermos tudo o que pensamos. Há aqui uma fronteira que todos devem guardar. Acho que há até alguma maldade nas pessoas que dizem ‘eu digo tudo’, porque de facto ao dizer tudo podemos ofender e sermos mais destrutivos do que construtivos», continua Elisabete Mechas.

«Não estamos preparados para os conflitos. Nenhum ser humano está preparado para estar em combate constantemente. Por isso é que digo que numa relação em casal preservamos algumas coisas», diz-nos a especialista.

«Para quê complicar?»

De facto, a realidade parece assentar no tipo de mentira que se conta. Segundo a psicóloga, há coisas que não se contam. Por exemplo, nem todas as traições devem ser partilhadas. Pode parecer estranho esta teoria, mas Elisabete Mechas explica: «Há situações que não são para dizer. Eu posso sentir-me atraída não sei por quem e, se eu sei que isso não vai ter implicações nenhumas, vou falar nisso para quê?» , afirma a psicóloga.

Se o outro achar que não tem de contaminar o casamento com a existência dessa traição. Imaginemos: estávamos numa situação em que alguém beija alguém.

Há de facto uma traição, mas se a partir dali não há nenhuma implicação para a relação que temos, para quê complicar? Se aquilo não foi nada, é uma pequena mentira, ou melhor, segredo para preservar a relação, porque, de facto, não vai existir nenhum impacto», explica a psicóloga.

«Há sempre segredos»

Elisabete Mechas não esconde que não há necessidade de saber-se tudo sobre a nossa cara-metade. Saber-se, por exemplo, quantas relações já se teve pode não ser indicado. A especialista diz-nos que este fator pode, inclusive, condicionar o bem das relações.

«Há sempre alguns segredos. Todos nós temos segredos que queremos preservar. Aliás, essa atitude é saudável. Por exemplo, se um homem dormiu apenas com duas mulheres, por uma questão de se mostrar mais homem diz que dormiu com dez; já no caso das mulheres, se uma dormiu com dez, vai dizer que dormiu apenas com um. Isto não são mentiras que comprometam nada, é certo, mas também não têm qualquer tipo de serventia», admite Elisabete Mechas.

Quando contam tudo um ao outro

Segundo Elisabete Mechas, a grande questão é que não existe nenhum momento da vida
em que alguém não tenha optado por mentir.

«Seria uma mentira dizer que não existe mentira nunca. O estranho, penso eu, é existirem casais que dizem contar tudo um ao outro. Quando alguém diz que conta tudo, sinceramente, acho que nesse caso, sim, existe algo verdadeiramente importante que está a ser escondido», assume a especialista.

Veja também: Os 5 maiores erros que os casais cometem e que levam à separação
Texto: Catarina Martins | Fotos: Pixabay

 

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top