Família e Carreira

Parto em casa. A preparação, os riscos, o alívio da dor e o nascimento

6 Maio, 2019

parto

«Quando uma mulher decide parir em casa, é importante que o companheiro (a) esteja em acordo», explica a enfermeira Marília Pereira.

São cada vez mais as mães que decidem ter um parto em casa, no conforto do lar. Tomar a decisão não é fácil, mas a enfermeira Marília Pereira desmistifica a ideia de que é um processo perigoso e conta toda a preparação.

Marília Pereira já acompanhou vários partos em casa e «felizmente» todos correram na perfeição, como nos recorda. «Sou parteira há cerca de um ano e todos os partos que acompanhei correram bem. Quando uma mulher decide parir em casa, é importante que o companheiro (a) esteja em acordo. É fundamental haver concordância no casal, porque a parte emocional influencia muito este processo», explica.

Veja também: Mafalda Rodiles mostra vídeo do parto do filho: «Foi super rápido. Ele simplesmente saiu»

O primeiro passo

As consultas no terceiro trimestre da gravidez são fundamentais. E a presença do pai também. «O marido deve acompanhar as consultas todas na gravidez. O pai ainda é um elemento muito esquecido e não devia, porque é ele quem deve transmitir serenidade à mulher», diz-nos.

Veja ainda: Como reagiu a Internet ao nascimento do bebé de Meghan e Harry? Com muito humor!

Depois de falarem bastante, os futuros papás devem tomar a decisão e escolher uma boa equipa médica. «A dupla de parteiros é fundamental, até porque é importante perceber se estão reunidas as condições. Temos de ter em conta o historial médico da mulher, os partos anteriores, se há antecedentes obstétricos ou alguma patologia… Mas cada equipa difere no método de trabalhar e preparar um parto», conta-nos Marília Pereira, salientando a importância de uma entrevista inicial após a escolha da equipa de parteiros.

Veja o artigo completo aqui.

Texto: Filipa Rosa

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top