Lifestyle

Novas regras com os animais para evitar contágio da covid-19

28 Fevereiro, 2021

animais covid-19

As casas voltaram a ter habitantes a todas as horas do dia ou quase e, nas que há animais, o corrupio irá afetar ainda mais quem está a trabalhar.

Apesar da casa cheia (ou não, para quem vive sozinha), há formas de passar por este período com maior tranquilidade, tendo alguns cuidados especiais com os animais, especialmente cães, dentro e fora de casa, por forma a evitar contágios indesejados e manter o bem-estar e a saúde física e mental do animal.

Embora a OMS tenha declarado não haver evidências que demonstrem que os animais de estimação podem transmitir Covid-19 aos humanos, a verdade é que eles circulam na rua, pelo que é importante que mantenha uma correta higiene dos mesmos para que não transportem para dentro de casa nenhum vírus indesejado.

Para evitar contágios da covid-19, deve ter em atenção medidas simples como:

♦ Lavar as mãos antes e depois do passeio;

♦ Manter uma distância de segurança de outras pessoas e animais nos passeios – escolher zonas de menor afluência, evitar parques caninos e não permitir que estranhos interajam com o animal fora de casa;

♦ À chegada a casa, limpar as patas do animal com uma toalhita (de bebé);

♦ Evitar dormir com os animais de estimação no quarto ou na mesma cama.

Crie um ambiente aconchegante

♦ Dedique-lhe mais tempo. O ritmo da vida moderna nem sempre deixou tempo para nos entregarmos aos nossos animais de estimação. Esta é uma boa altura para interagirmos mais com eles. Ganham eles e ganhamos nós;

♦ Mantenha uma rotina, pois, tal como os humanos, os animais precisam de rotinas;

♦ Mantenha uma alimentação equilibrada e não superalimente o animal, já que, com menos exercício físico outdoor, é natural que ganhe algum peso prejudicial à sua saúde;

♦ Ocupe o tempo deles, e o seu, com novas atividades. Seja criativa, crie circuitos de exercício para os animais mais ativos, ensine novos truques, envolva as crianças, por exemplo. Tal como as pessoas, os animais de estimação podem passar por stress físico e mental durante este período. Os exercícios para a mente e para o corpo do seu animal de estimação podem ajudar bastante ao seu bem-estar.

♦ Se está em teletrabalho e sente que o seu animal de estimação interrompe constantemente – o seu gato anda pelo teclado, o cão faz barulho durante uma videoconferência ou chama a atenção de outra forma –, então garanta que, antes de começar a trabalhar e para evitar interrupções, fez previamente exercícios com o seu animal e lhe deu comida e água. Procure ainda criar um espaço aconchegante
para o seu bicho enquanto trabalha.

E se alguém estiver infetado?

♦ Não deixe que o animal fique junto da pessoa infetada.

♦ Se tal não for possível, as pessoas que estiverem infetadas, com ou sem sinais clínicos, ou mesmo suspeitos, devem usar máscaras sempre que contactem com os animais.

♦ O ideal é que seja alguém da casa não infetado
a tratar dos animais.

♦ Tenha em casa alimento para os animais para um período de 15 dias.

♦ Caso o seu animal seja um doente crónico, tenha em casa medicação para um período de 15 dias.

♦ Se for imprescindível uma ida ao veterinário, este deve ser previamente avisado de que o tutor do cão ou familiares estão infetados.

Texto: Mário Rui Santos; Colaboração: Clínica Dr. Bigodes
Leia ainda: De cães a cangurus! Entre na quinta de João Baião e conheça os seus (muitos) animais

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 2 | 0

 
Top