Nacional

Bailarina do Dança com as Estrelas teve bebé em risco no parto e pensou em não aceitar desafio

17 Fevereiro, 2019

Rita Pereira não é a única recém mamã em Dança Com As Estrelas, TVI. Sara Santos, bailarina de Tiago Teotónio Pereira, foi mãe há cinco meses e revela as dificuldades porque tem passado. Bebé esteve em risco no parto e Sara engordou 20 quilos.

Sara Santos, bailarina de Dança Com As Estrelas, TVI, foi mãe há cinco meses, Aceitou o desafio quando o bebé ainda não tinha três meses. A bailarina defende Rita Pereira, revela as dificuldades que teve no pós parto, os quilos que engordou, o medo que teve no parto e como está feliz a dançar.

Entrevista

Como está a correr esta edição do dança?

Esta edição está a correr muito bem, um pouco diferente da outra para mim, porque agora sou mãe, mas muito feliz por sentir uma evolução gigante das nossas prestações. Até para mim, tem sido gratificante sentir-me melhor com o meu corpo e sentir-me cada vez mais confiante gala após gala.

Dançar com o Tiago Teotónio Pereira tem sido fácil?

Com o Tiago tem sido muito bom poder acompanhar e fazer parte deste processo, porque ele tem evoluído muito de domingo para domingo e acho que isso é o que as pessoas esperam ver. É uma evolução real, a dança vai-se entranhando nele pouco a pouco tão naturalmente e isso nota-se muito.

É fácil manter a concentração quando o seu par é o Tiago? (risos)

Fácil é porque ele é uma pessoa super focada e mesmo muito trabalhadora. Às vezes quando saio da sala de treino para tratar de algum assunto para a gala, quando volto à sala já ele foi buscar um bailarino homem para ver como faz alguns movimentos (porque ele gosta de ver rapazes a fazer) e lá está ele em frente ao espelho a tentar fazer igual! E fica ali até conseguir! É mesmo incrível! Mas claro que também temos os nosso muitos momentos de gargalhadas, às vezes até tenho de pedir para parar que já nem consigo respirar de tanto rir. (Risos)

Família em do Porto para estar com ela

Qual o maior desafio desta edição?

Em parceria com o Tiago, o maior desafio é darmos tudo para conseguir chegar o mais longe possível. Mas estamos a levar isto muito na “filosofia” do passo passo, sem pensar muito no que vem para a frente. Mas sempre com o pensamento de fazer melhor.

Também foi mãe há pouco tempo. Como tem sido gerir o dança com a maternidade?

Graças ao meu marido e aos meus pais tem sido muito fácil, sendo que somos do Porto. O Stephen (meu marido) vem alguns dias tomar conta do Clark (meu filho) e estar comigo, e nos dias que ele tem que ir trabalhar vem a minha mãe tomar conta do Clark, enquanto o meu pai toma conta do negócio da família. E eu sempre que chego do trabalho vou direta para casa para ver o meu bebé mais lindo, e dar todo o mimo possível, como todas as mães. Obrigada família, sem vocês não era possível.

Bebé esteve em risco

Quando o Dança começou tinha sido mãe há três meses, foi fácil retomar o trabalho em tão pouco tempo?

Não foi muito fácil ao início. Eu era o tipo de mãe que não largava o meu bebé por nada, até dificuldade tinha em deixar a minha mãe tomar conta dele para eu poder ir a algum lado (sendo que confio na minha mãe para tomar conta dele a 100%) mas não sei, talvez tenha sido por ter tido um parto um pouco complicado e o meu bebé ter ficado em risco. Então estava muito focada nele, o resto que não fosse ele, incluindo eu, quase não me interessava. Apenas o bem estar dele.

O que aconteceu ao bebé?

Estive muitas horas à espera de dilatação, mas estava tudo muito normal durante o início do parto até ouvirmos o coraçãozinho dele na máquina a baixar muito o ritmo, então tiveram que chamar médicos e mais enfermeiros, pelos vistos o cordão umbilical estava à volta do pescoço, tiveram de recorrer a instrumentos para ele conseguir sair, e esse intervalo de tempo foi muito assustador! Foi como se tudo para mim estivesse a acontecer em câmara lenta, sem perceber muito bem o que se estava a passar, e ao mesmo tempo a pôr toda a minha força para tentar que ele nascesse bem. Mas graças a Deus assim que ele saiu desenrolaram o cordão dele e ele estava ótimo e muito saudável.

Pensei em não aceitar entrar no Dança

Hesitou quando foi convidada?

Foi então que recebi um telefonema com a hipótese de voltar para o Dança. Eu fiquei super surpresa, sendo que pesava 54 kilos antes de ficar grávida e até ao fim da gravidez engordei 20 kilos e não tinha feito qualquer exercício físico até então, aliás tenho de agradecer à Endemol e à TVI por acreditarem em mim e não me acharem menos capaz por ter sido mãe há tão pouco tempo, confesso que não estava à espera! Mas pensei muito em não aceitar para estar a tempo inteiro com o meu bebé.

O que a levou a mudar de ideias?

A minha família e amigos, todos me aconselharam aceitar, porque eu amo de coração este programa, foi a melhor experiência a nível de trabalho que já tive, e eles disseram que se não aceitasse para tomar conta do bebé poderia ser mau para mim, sendo que podia ficar com uma depressão pós parto ou algo de género. Hoje, já o Clark com cinco meses sinto que foi a melhor decisão que poderia ter tido, entrar no Dança com as Estrelas. Sinto-me tão mas tão bem, principalmente depois da penúltima gala em que dançamos kizomba. Saí de lá com 100 por cento de certeza de dever cumprido!

Leva o bebé às galas?

Ele vai ver algumas galas e porta-se lindamente. Não chora, ele adora ver pessoas a dançar! Ele um bebé super feliz, com muito amor dos pais, Do resto da família, e amigos. Até já o levei para jantar com o pessoal do dança e foi espetacular.

Quem olha para si, não diz que foi mãe há tão pouco tempo, como conseguiu?

Como referi antes. Eu engordei bastante na gravidez, comi exatamente como comia quando tinha 54 kilos, ou seja, bastante e tudo o que eu quisesse! Nunca tinha feito dietas, então na gravidez é que não iria fazer! Mas assim que tive o bebé, passado umas semanas já tinha perdido uns dez quilos, e o resto fui perdendo com um pouco de dieta, a treinar no dança e a rir muito com o Tiago, que faz trabalhar o abdominal (risos). Se ficasse grávida outra vez, comia na mesma mas faria mais exercício durante a gravidez.

Defende Rita Pereira das críticas

Sendo mãe, como olha para as criticas que têm sido feitas a Rita Pereira por ter regressado ao trabalho 10 dias depois de ser mãe?

Acho ridículo. Cada um faz o que quer. Ela está a ser feliz a fazer o que mais gosta, e quando somos felizes passamos essa energia para os nossos filhos! E isso é o mais importante! Não arrecadar frustrações, que mais tarde se possam refletir no nosso filho também. Não somos menos boas mães por não ficarmos em casa, não somos menos nem mais, somos só mães. Todas amamos o nossos filhos ao máximo. A vida pede para que façamos o que nos faz felizes e se for a tomar conta do nosso filho, ou a ser apresentadora, ou a ser dançarina, ou cozinheira ou seja o o que for, que seja!

Texto: Ana Lúcia Sousa; Fotos: Divulgação TVI

 

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top