Nacional

Bibi abre o coração: «Tenho medo de não ver os meus filhos crescer» [vídeo]

28 Dezembro, 2019

Numa altura em que o Natal é passado com a sua nova família, Bibi faz o balanço de 2019, o ano em que a jovem descobriu sofrer de fibromialgia e temeu pela vida.

Aos 26 anos, Bernardina Brito mostra ser uma pessoa feliz e realizada. E como não podia deixar de ser, está entusiasmada com a época natalícia. À Maria, a ex-concorrente da Casa dos Segredos conta como vive a quadra. «Para mim, Natal é estarmos todos juntos, com a lareira acesa, a árvore, as luzes a piscar, a mesa cheia de comida, com muitos doces», começa por revelar.

«Mas nós acabamos por não fazer a consoada em casa. Os meus sogros têm um restaurante e como é mais espaçoso e a família ainda é bem grande, fazemos lá. Transportamos os brinquedos e as prendas todas para lá. Então temos a área só da refeição e depois temos a do lazer e é muito giro porque as prendas quase que chegam ao teto», diz, entre sorrisos.

Filho em fase de rebeldia

Bernardina é mãe de duas crianças, Kévim e Kyara, e vive um relacionamento com Pedro Almeida, pai da menina. Kévim é filho de Tiago Ginga, também ele ex-concorrente da Casa dos Segredos. E como tantas outras mulheres com filhos de pais separados, Bibi tem de dividir momentos como o Natal e a passagem de ano com o ex, algo que tem sido pacífico.

«Os acordos com o Tiago em relação ao Natal têm sido fáceis. Todos os anos, o Kévim passa a noite de Natal comigo e no dia 25 se o pai puder vem buscá-lo. Na passagem de ano é igual», explica, dizendo, no entanto, que este ano as coisas podem
vir a complicar-se. «O Kévim está numa fase em que não quer ir com o pai e está a ser um bocadinho complicado. O Tiago não lhe fez mal nenhum, ninguém o trata mal daquele lado da família. Eu acho que o que acontece é que na nossa casa ele tem a companhia da irmã para brincar. Acho que é mais por aí. Eu tenho a certeza de que o pai o trata super bem e a avó materna também, mas faz-lhe falta a irmã para brincar», revela.

«Para além disso, ele e a Kyara são superagarrados a mim. O Tiago no dia de anos veio buscá-lo, ele fez a maior birra e acabou por não ir. O senhor do Uber disse que não ia fazer uma viagem naquelas condições, porque o Kévim ia aos pontapés, a abrir portas e a dizer que queria sair e que não queria ir. É uma fase de rebeldia», lamenta.

Veja o vídeo na galeria em cima.

«São uns mimados»

Mas este Natal foi ser, de facto, diferente. É que se até aqui a jovem conseguia trazer toda a família do Norte a festejar consigo em Lisboa, desta vez, isso não será assim. «Este ano os festejos estão mais complicados. O meu irmão vinha e trazia a minha mãe, mas
este ano, como nasceu a minha afilhada, filha do meu irmão, vai tornar-se um bocadinho mais complicado porque é um bebé e é uma viagem ainda grande. Estar dois dias fora do ambiente dela é complicado e eu compreendo porque também tive os meus pequeninos e também nunca me lancei com eles para longe», conta.

«Mas não estando com eles, assim que puder vou ao Norte passar uns dias, matar saudades e entregar-lhes as prenda», acrescenta.

E por falar em prendas, será que Bibi é descontrolada no que diz respeito às escolhas para os filhos? «Acho que o Pedro é mais de comprar tudo o que os miúdos querem, do que eu. Eu penso mais nas roupinhas. O Pedro deixa-se ir mais pelo embalo dos brinquedos. Mas os meus filhos são uns mimados com isso», revela-nos.

«Mas atenção, esta coisa das prendas não é só para os miúdos. Sinto que nós, os adultos da nossa família, também somos muito ainda de receber prendas. Todos gostamos. Não vamos ser hipócritas. Na minha família trocamos prendas, nem que sejam coisas simbólicas. Nunca nos esquecemos de ninguém. No final da noite são risos e papel por todo o lado», conta.

«Vou ter dores para sempre»

Apesar de na reta final do ano estar a viver uma paz que lhe sabe muito bem, nem todo o ano de 2019 foi pacífico. «Este ano descobri que sofria de fibromialgia e não foi nada fácil», desabafa. «É horrível e apesar de saber que há pessoas que sofrem bem mais do que eu com a doença, a verdade é que são dores quase incapacitantes. Quando recebi o diagnóstico só pensei nos meus filhos. Não vou mentir porque eu tenho medo de não ver os meus filhos crescer», diz, emocionada.

«Quando soube que tinha fibromialgia passou-me a vida toda em flashback. Só pensava porque é que isto me estava a acontecer a mim que sou muito nova e mãe de dois filhos pequenos que precisam de mim?», lamenta. «Neste momento, já aceitei. Combato a doença aceitando que vou ter dores para sempre na minha vida e que a única coisa que posso fazer é descansar nos piores momentos e manter a energia necessária para brincar com eles quando posso. Tenho filhos muito energéticos e eles precisam de mim”, desabafa.

A ajuda do Pedro aqui também é fundamental. «Ele ajuda-me com os miúdos e trata o Kévim como se fosse filho dele. Não podia pedir mais», assegura, feliz.

Nada de ginásio

Para 2020, Bernardina quer apenas continuar a brilhar ao lado da família, ver os filhos crescer, ter sucesso nos negócios e perder mais uns quilinhos, ponderando, até, recorrer a cirurgias. «Apesar de 15 quilos já terem ido embora, faltam-me perder ainda mais uns, que são os mais difíceis. Sem a saúde necessária para poder fazer ginásio acho que vou ter de recorrer a cirurgia. Não era o que queria, mas vou ter de fazer retoques na zona da barriga. Uma especialista já me disse que o meu músculo está partido e por isso só com cirurgia consigo chegar à forma que desejo. Aqui, nem o desporto ajuda», admite.

Leia ainda: Bernardina Brito sem filtro: «Lucas pensa com a cabeça de baixo e Ana Raquel é uma bisca»
Texto: Catarina Martins; Fotos: José Manuel Marques; Produção: Sónia Reis

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top