Nacional

Bruno Candé – Homem que terá morto ator não está arrependido: «Matei vários como este»

1 Agosto, 2020

O alegado homicida do ator Bruno Candé, morto com 4 tiros numa rua de Moscavide, está detido na prisão de Lisboa.

Bruno Candé Marques morreu no passado dia 25 com quatro tiros. O alegado homicida do ator já foi presente ao Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa e, apesar de se ter remetido ao silêncio, os contornos do crime que terá cometido em Moscavide (Loures) valeram-lhe a medida de prisão preventiva. De acordo com o Correio da Manhã, Evaristo Marinho, um auxiliar de enfermagem reformado com 76 anos, foi levado para a prisão de Lisboa e não mostrou qualquer sinal de arrependimento.

«Em Angola, matei vários como este», terá dito Evaristo na altura da admissão.O criminoso recebeu tratamento médico após o homicídio devido a ter sido agarrado por populares depois de disparar contra o ator. Contudo, apesar dos 76 anos, o antigo combatente na Guerra do Ultramar não mostra debilidade física e anda sem qualquer apoio.

Evaristo foi levado para a ala F da cadeia de Lisboa. Este é o espaço onde os detidos cumprem quarentena preventiva devido à pandemia de covid-19. Tem uma hora de recreio diário e come na cela. Segundo o Correio da Manhã, o homem recebeu um saco com roupa da família, na passada quinta-feira. Depois de cumprir os 14 dias de quarentena, Evaristo deverá ser transferido para a ala C da prisão para se juntar aos reclusos mais velhos.

Figuras públicas revoltadas

Nas redes sociais, várias figuras públicas manifestaram a sua indignação. «Foi um crime de ódio – contra um actor, um pai, e decerto que neste país tão não-racista, haverá quem tente inventar “justificações” para o crime (“na volta ele provocou o outro”). Mas nada justifica isto: Bruno, 39 anos, artista, pai de três filhos, todos com idades abaixo dos cinco anos, foi rasteirado por um monstro que, depois de o mandar ao chão, disparou contra ele. Já há dias que o assassino o insultava, e já tinha agredido a cadela que acompanhava Bruno para todo o lado. Tendo em conta que o monstro tem 80 anos, não será difícil que a prisão lhe seja perpétua, como merecido. Que a justiça se faça. E um grande abraço solidário para a família e amigos do Bruno.», escreveu Nuno Markl.

Sandra Faleiro, numa curta mensagem, salientou: «Há racismo em Portugal! Ainda temos um longo caminho a percorrer…». Paula Lobo Antunes lançou a pergunta: «E agora? É só lá fora?».

O ator Nuno Gil reforçou que Candé foi «assassinado na rua com um facilitismo aterrador». «O porquê da sua morte é mais que atroz, repugnante, e revelador de como há um racismo sistémico em Portugal. É esta permissividade invisível que assusta, que prolifera, que vai ganhando terreno. Querido Bruno, muita paz para a tua partida».

Leia ainda: Bruno Candé. Irmã de ator assassinado em lágrimas: É uma dor tão grande

Texto: Joana Ferreira e Raquel Costa

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top