Nacional

Liliana Campos entre a vida a morte por causa de picada de aranha | CONTEÚDO SENSÍVEL

19 Junho, 2019

A apresentadora de Passadeira Vermelha, da SIC Caras, contou o episódio que viveu no final de 2011, quando tudo aconteceu.

Júlia Pinheiro abordou no programa da tarde da SIC desta quarta-feira o caso de duas mulheres que estiveram entre a vida e a morte por causa de uma picada de uma aranha. Uma delas foi Liliana Campos. A apresentadora de Passadeira Vermelha, da SIC Caras, contou o episódio que viveu no final de 2011, quando tudo aconteceu.

«Eu não sabia se ia resistir ou não», avisou desde logo Liliana, que na época era uma das anfitriãs do magazine Fama Show. A comunicadora começou por sentir comichão e acabou por perder as forças. Foi ao hospital e ficou internada.

Liliana tinha o tronco «cheio de bolhas» e as pernas «com vergões». «Rebentaram-me as bolhas para controlar a infeção. Tentaram perceber o que tinha acontecido e eu não tinha nada para lhes dizer. Não tinha viajado. Não tinha comido nada que pudesse fazer aquilo», explicou.

O rosto da estação de Paço de Arcos conta que sofreu «queimaduras de segundo ou terceiro grau». «Comecei a melhorar porque fiz alergia ao veneno da aranha. Ao contrário dos outros casos, em que o veneno fica no organismo e pode atacar os órgãos vitais ou até corroer, no meu o veneno foi expelido pelo corpo», garante.

Dois anos para recuperar

Liliana esteve de baixa médica durante cerca de três meses. Levou dois anos a recuperar, já depois de, por acaso, ter visto a aranha na sua casa. Levou-ao ao médico e foi feito um antídoto. «Quando a pele regenerou, eu fiquei com outro tom de pele», diz. «Disse à minha médica que tinha tido tanto medo, que pensava que ia morrer. Ela respondeu: ‘Pensou você e pensámos nós’».

As imagens partilhadas pela apresentadora, e que reproduzimos na galeria acima, foram captadas 15 dias depois de Liliana ter sido picada. Só passadas essas duas semanas é que teve «coragem» de o fazer, até porque o seu receio também passava pela imagem com que ia ficar – afinal, é também da imagem que se faz o seu trabalho de apresentadora.

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: reprodução redes sociais

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top