Nacional

Maria Botelho Moniz sem aumento na TVI. Saiba ainda o que pensa sobre bissexualidade

5 Fevereiro, 2021

Maria Botelho Moniz não gosta de falar sobre sexo, mas acabou abordar o tema da bissexualidade, sem preconceitos. A apresentadora não foi aumentada na TVI.

Maria Botelho Moniz não gosta de falar sobre sexo, mas acabou por responder, sem preconceitos à pergunta: “És bissexual?”. A questão foi colocada no podcast “É Preciso Ter Lata”, de Pedro Ribeiro e Rita Rugeroni.

“Não. Nada contra, mas sinto zero atração por mulheres”, afirmou, fazendo, porém, uma revelação mais ousada: “É assim, há meninas pelas quais uma pessoa tem aquele crush de …. ‘gente, isto numa noite louca, beijava na boca’. Mas, não. Ter uma relação com uma mulher, não”, disse, bem disposta, perante o olhar divertido dos apresentadores do podcast.

Apresentadora vai entrar num filme

Na mesma sessão de perguntas e respostas, Maria Botelho Moniz revelou também que ainda não desistiu do sonho de ser atriz. “Tanto não desisti que tenho um filme a estrear este ano. Esse foi sempre o meu maior sonho. O que aconteceu a partir de 2011, quando comecei a apresentar o Curto Circuito, na SIC Radical, foi que descobri que há outras formas de contar histórias, em que não precisas de encarnar uma personagem para entreter as pessoas. Podes contá-la sendo o ouvido e o fio condutor de alguém que tem uma história para contar”, disse.

“Agora o meu coração está dividido, mas não passou um único ano em que eu não tenha feito nem que seja uma pequena participação em alguma coisa, numa novela ou numa série”, afirmou, acrescentando ainda que o filme no qual vai entrar se chama “Irregular”: “É realizado pelo Diogo Morgado. O protagonista é o Pedro Teixeira e eu sou uma inspetora da PJ”.

Maria Botelho Moniz não foi aumentada

Maria Botelho Moniz revelou também, no mesmo podcast, que mantém o mesmo salário que tinha antes de se estrear no “Dois às 10” ao lado de Cláudio Ramos. “Não recebi aumento nenhum. Há outras fontes de rendimento que surgem com essa posição, mas o meu ordenado mantém-se”.

A apresentadora falou ainda de outros assuntos relacionados com a TVI. Uma das perguntas era se tinha sido despedida por Daniel Oliveira (diretor geral de Entretenimento da SIC) por ter feito “as coisas pela calada”. “Eu não fiz nada pela calada. O que aconteceu foi que o meu telefone tocou e eras tu do outro lado [disse, dirigindo-se a Pedro Ribeiro, que, na altura, fazia parte da direção de Programas do canal]. Eu estava num dia normal de trabalho. Conversamos e eu segui o meu instinto e tomei uma decisão. Não fiz nada pela calada, segui a minha vida”, afirnou.

Nuno Santos ou Cristina: quem manda mais?

Um dos haters de Maria Botelho Moniz referiu os nomes de Nuno Santos e Cristina Ferreira e perguntou qual dos dois manda mais na TVI. O primeiro é diretor-geral da estação e a apresentadora exerce funções de diretora de Entretenimento e Ficção, o que já originou várias notícias a dar conta do mal-estar entre ambos nos corredores de Queluz de Baixo.

“Acho que mandam igualmente. Não faço a menor ideia, esta é a resposta mais sincera”, começou por dizer. “Eu sei que o Nuno, enquanto diretor geral é o ‘big boss’, mas, no dia-a-dia, cruzo-me mais vezes com a Cristina. Acho que é muito equilibrado”, afirmou, sem se comprometer.

“Não te sentiste mal por ter ido substituir a Maria Cerqueira Gomes?”, questinou outro hater. “Eu não fui substituir a Maria Cerqueira Gomes. A Maria já tinha saído do programa. Eu fui substituir o Manuel Luis Goucha quando ele foi de férias. A Maria já não fazia dupla com ele por vontade própria”, disse, garantindo que as duas são muito amigas.

“Nós somos mesmo amigas de casa e é muito engraçado porque queremos coisas diferentes, queremos seguir caminhos totalmente diferentes. Isso dá conversas muito giras entre as duas”. acrescentou.

Leia mais
Cláudio Ramos e Maria Botelho Moniz anunciam morte de convidado que ganhou o totoloto

Texto: Patrícia Correia Branco; Fotos: Reprodução redes sociais

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top