Nacional

Enfermeira partilha foto para recordar o gémeo que morreu antes de nascer

8 Novembro, 2019

Quem acompanhou a história desta nossa gravidez, sabe o quanto a perda do gémeo do Manuel nos marcou.

Embora a Ciência considere que o outro bebé nunca existiu, pelo facto de que o seu coração deixou de bater muito cedo (perto das 11 semanas), para a nossa família este bebé existiu, tem um nome (ainda que meramente simbólico, mas foi importante dar-lhe um nome, principalmente para os irmãos) e fará sempre parte da nossa história, da história do Manuel.

LEIA AQUI ESTA HISTÓRIA: «Carrego o meu bebé morto há seis semanas»

Será possível sentir falta de um bebé que nunca nasceu? É sim. E a falta do Salvador foi sentida e verbalizada por todos cá em casa, principalmente nos primeiros dias.

O Manuel saberá sempre que teve um irmão gémeo. Não faremos disso um drama familiar, mas sim uma memória a ser recordada com muito amor e muito carinho.

Veja aqui a forma como foi recordado. É incrível!

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top