Nacional

Victor Espadinha chama «maluquinha» e «travesti» a José Castelo Branco

13 Agosto, 2019

«A maluquinha do travesti disse aquilo e como nós nos estávamos a divertir, eu não quis interromper para desmentir», conta Vítor Espadinha ao nosso site.

Victor Espadinha foi apanhado de surpresa quando viu reproduzida na imprensa nacional declarações proferidas por José Castelo Branco no Roast (espetáculo de humor que homenageou o socialite) que se realizou no Campo Pequeno, em Lisboa, e que a TVI emitiu no passado domingo. «Lembro-me muitíssimo bem que tinhas um bar de vacas, umas do alterne, no Estoril, onde eu ia todas as noites depois de sair dos sítios civilizados», atirou o marchand d’art. O ator limitou-se a acenar afirmativamente com a cabeça.

Agora, Espadinha explica que, afinal, nunca teve «um bar de alterne». A casa noturna a que José Castelo Branco se referiu dava pelo nome de Bar da Tina e pertencia a Maria Matos, a ex-mulher do também cantor. «Ela era sócia de uma empresa que, entre várias coisas, tinha um bar. Era de striptease, não de alterne, e não tinha nada a ver comigo. Eu ia lá ter com ela e beber um copo de vez em quando, mas não tinha nada a ver comigo», afirma Victor ao site da revista Maria, recordando que foi proprietário de «três bares em épocas distintas, de música ao vivo, mas nenhum de alterne ou striptease». «Não teria problema nenhum em dizer se tivesse tido, mas não aconteceu».

O que se passou no Roast, contou ainda ao nosso site, foi que Victor Espadinha optou por não «interromper» José Castelo Branco na altura em que este fez aquela afirmação. «A maluquinha do travesti disse aquilo e como nós nos estávamos todos a divertir, eu não quis interromper para desmentir. Também não me importa nada o que ele diz. Se ele disser que eu lhe fui ao rabo, é mentira, mas o que é que eu hei-de fazer?», atirou, entre risos.

Espadinha recorda ainda que o Bar da Tina, cujas imagens pode ver na galeria acima, não existe «há muitos anos». «Fechou porque a minha ex-mulher saiu da sociedade, que era ainda composta por figuras do ramo da restauração», termina.

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: reprodução redes sociais

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top