Nacional

Zé do Pipo «não fugiu para o Brasil». «A polícia nunca teve essa hipótese em cima da mesa»

11 Fevereiro, 2019

Três meses depois do seu desaparecimento, amigos e familiares de Zé do Pipo continuam a acreditar que o cantor tirou a sua própria vida.

«Ele não fugiu para o Brasil». A teoria de que Zé do Pipo, desaparecido desde o dia 5 de novembro do ano passado, terá fugido para o Brasil com uma das bailarinas é desmentida por um amigo do cantor em declarações ao site da Maria. João Carlos Costa garante que Nuno Batista [nome verdadeiro do artista] «jamais faria isso».

«Quem o conhece como eu, a mulher e os pais dele conhecemos, sabemos que isso é completamente descabido e ridículo. A polícia nunca teve sequer essa hipótese em cima da mesa», esclarece, contrariando a versão avançada pelo site Flash!. Além disso, frisa, «como é que uma das bailarinas podia ter ido com ele para o Brasil se estão todas cá?», questiona.

Radialista da rádio 91fm, de Óbidos, João Carlos Costa volta a apontar que «dentro do quadro clínico» que o artista apresentava – de depressão -, há «99 por cento de certeza» que este «se atirou ao mar». «Ele não levantou dinheiro do banco, não levou nada com ele. Ele já tinha dito que se queria matar e que o ia fazer naquele sítio», conta.

Recorde-se que, na manhã seguinte ao desaparecimento de Zé do Pipo, o seu carro foi encontrado junto à Praia do Porto da Areia Sul, em Peniche. No seu interior estava a carteira, o casaco e o telemóvel do cantor. Passados três meses, não se sabe o paradeiro do corpo.

Veja também: Cristina Ferreira fala de «preconceito» no caso de Zé do Pipo: «Este caso não foi bem acompanhado»

«O Nuno e a mulher [Celeste] estavam bem e não tinham problemas financeiros. Ele é que não aguentava aquela situação de não ter sentimentos. Andava desesperado», recorda o amigo.

«Todos os dias há uma versão diferente»

João Carlos Costa diz ao nosso site que o que não lhe falta são «versões diferentes» do que terá acontecido naquela dia 5 de novembro. «Não digo todos os dias, mas garanto que todas as semanas ouço coisas diferentes».

São «mitos urbanos», ressalva. «Já o viram sem bigode numa localidade próxima de Óbidos. Já o viram na Alemanha, já o viram em França», prossegue o amigo. «Se quer que lhe diga, até preferia que qualquer uma destas teorias fosse verdadeira Qualquer situação seria melhor do que ele ter morrido», desabafa.

Leia ainda: Mulher de Zé do Pipo apaga músicas, fotografias e pensamentos do cantor

Telemóvel deu sinal após o desaparecimento

Oito horas depois de Celeste ter avisado que o marido estava desaparecido, o telemóvel do músico – que tinha estado desligado – deu sinal. «Era meia-noite e dois minutos quando o telemóvel ativa. Ficámos todos com uma esperança, porque alguém teve de o ativar».

Leia mais aqui.

Texto: Ana Filipe Silveira; Fotos: reprodução redes sociais

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top