Notícias em Destaque

Dietas detox! Estes são os perigos que deve conhecer

9 Novembro, 2019

Fazer um detox depois de grandes abusos tornou-se moda. Mas será esta tendência algo assim tão eficaz? Conheça os principais riscos deste tipo de dieta.

De há alguns anos para cá tem-se intensificado a moda do detox. As pessoas tendem a cometer cada vez mais exageros,
a ‘dar facadinhas’ nas suas dietas e a tentar compensar depois com planos de detox durante alguns dias.

Até pode ser um caminho já percorrido por muitas pessoas, no entanto, será assim tão eficaz? Compensará ‘dar a facadinha’ na dieta e depois investir num plano destes? Será o detox a grande solução de emagrecimento do corpo em tempo recorde?

Cláudia Maranhoto, nutricionista, explica de que forma funciona verdadeiramente este método.

«O que se pretende, supostamente, com este tipo de abordagem é ‘limpar’, ‘desintoxicar’, como que fazer um ‘reset à máquina’. Mas será que precisa mesmo disso? Precisa e fá-lo diariamente, felizmente! O fígado, os rins, a pele, os pulmões, os sistemas gastrointestinais fazem o seu trabalho todos os dias, no sentido de manter o nosso corpo em equilíbrio, livrando-nos das substâncias indesejáveis, a que a toda a hora nos submetemos, quer seja pela comida, pela poluição, pela cosmética ou pelo tabaco, por exemplo, e que comprometem a saúde», explica a especialista.

Na realidade, segundo esta nutricionista, apesar dos abusos que possamos fazer, o nosso corpo tem a capacidade de fazer uma triagem do que o nosso organismo vai absorver ou não, o que quer dizer que fazer um detox como solução para “limpar” o nosso corpo, pode não ser uma situação de emergência.

Os riscos mais «escondidos»

«O facto de fazermos um detox, comercialmente falando, daqueles que nos vendem na Internet, de sopas e sumos, não nos vai tornar mais saudáveis ou fazer perder gordura mais depressa», assume a nutricionista.

Cláudia Maranhoto alerta, também, para a necessidade de se compreender que apesar de ser saudável e de se investir numa alimentação rica em alimentos como fruta e vegetais, este tipo de método pode ser um verdadeiro erro, uma vez que estaremos a esquecer-nos de consumir outros alimentos que podem ser tão ou mais fundamentais do que estes ao nosso corpo.

«Já para não dizer que será pouco sustentável! Claro que uma abordagem alimentar, rica em vegetais e fruta é benéfica, mas falamos de comer apenas estes alimentos, o que é muito redutor no que se refere a hábitos saudáveis e pode até ser perigoso»,
alerta Cláudia Maranhoto.

Segundo a especialista é preciso que se entenda bem o conceito de dieta equilibrada e que se adotem alguns comportamentos alimentares no que diz respeito à nossa alimentação no dia-a-dia, sobretudo, depois de termos cometido o pecado da gula em dias de festas ou encontros sociais, por exemplo.

Veja também: Emagrecer sem dieta? Faça trocas inteligentes quando cozinha
Texto: Cláudia Maranhoto, nutricionista | Fotos: Pixabay

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top