Saúde e Bem-Estar

Diástase Abdominal: O problema que muitas mulheres têm e não sabem!

9 Agosto, 2018

Muitas mulheres acreditam que a diástase aparece apenas com a gravidez, mas a especialista Paula Ambrósio desmistifica essa questão.

A diástase abdominal, mais conhecida como diastáse dos retos é uma situação que afeta muitas mulheres, mas algumas delas nem sabem que sofrem deste problema.

O site Crescer conversou com a Dra. Paula Ambrósio, ginecologista/obstetra no Hospital Lusíadas Lisboa, que nos falou sobre este tema. «A diástase dos retos corresponde ao afastamento excessivo dos músculos retos abdominais, podendo, na sua forma mais grave, fazer com que o conteúdo abdominal se torne saliente», começa por explicar.

ESPREITE: Problemas ginecológicos? Fique a par das soluções

As razões para esta situação acontecer, devem-se, acima de tudo «ao enfraquecimento dos tecidos da parede abdominal devido a uma variedade de fatores, mas o estiramento da parede abdominal parece ser o mais importante. O aumento da pressão intra-abdominal, como ocorre durante a gravidez e nos casos de obesidade é o fator mais frequentemente envolvido». 

Muitas mulheres acreditam que a diástase aparece apenas com a gravidez, mas a especialista desmistifica essa questão: «Todas as causas que levem ao aumento da pressão intra-abdominal e ao estiramento excessivo da parede, como a obesidade e os problemas do tecido conjuntivo, com excesso de laxidão dos tecidos causam este problema.»

                                                   Fonte: https://www.tuasaude.com/

Como podemos saber se sofremos de diástase?

Sendo esta uma situação que afeta muitas mulheres, de que forma se pode prevenir a diástase? E, para quem nunca pensou no assunto, como pode saber se sofre deste problema? «A diástase pode associar-se a sintomas ou ser completamente assintomática. O diagnóstico é fácil de fazer com um exame físico simples em que se mede a distância entre os músculos retos com a doente em repouso e fazendo uma contração voluntária da parede abdominal (com a doente deitada, pede-se para levantar a cabeça). Nos casos mais graves observa-se uma saliência na linha média do abdómen, correspondendo ao conteúdo intra-abdominal que deixa de estar contido por uma parede menos resistente», revela.

LEIA TAMBÉM: Incontinência no pós-parto: Uma realidade muitas vezes escondida

Diástase que leva à cirurgia

Ainda assim existe outra solução, que passa pela cirurgia. Mas este caso está «reservado apenas para casos mais graves». E em que consiste esta operação? «A cirurgia tem como objetivo remover uma parte da linha branca (a linha que se situa entre os músculos retos abdominais) e reaproximar, com linhas de sutura, os bordos dos músculos. Em casos selecionados pode aplicar-se uma rede para fortalecer os tecidos e melhorar a resistência dos tecidos», garante a profissional.

E que conselhos dá a Dra. às mulheres que sofram deste problema e que ficam, muitas delas, afetadas psicologicamente e cheias de complexos? «O mais importante é explicar que esta situação é habitualmente transitória e que, quando é necessário fazer uma cirurgia, esta é normalmente muito eficaz. A realização de exercícios de fortalecimento muscular durante a gravidez, o controlo adequado do peso corporal e uma alimentação saudável, rica em proteínas são medidas que podem melhorar o quadro. Um programa de reabilitação muscular pós parto adequado também ajuda», finaliza.

Alguma questão que tenha, fale sempre com o seu ginecologista/obstetra e tire todas as dúvidas.

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top