Saúde e Bem-Estar

Mãe depois dos 40? Conheça os riscos de uma gravidez tardia

29 Junho, 2019

Existem maiores riscos associados à gravidez tardia. Conheça seis deles.

O fenómeno da gravidez tardia tem vindo a registam um aumento crucial nas últimas décadas. Ser mãe, principalmente depois dos 40, já não causa um impacto negativo, já que, as mulheres  optam pela maternidade cada vez mais tarde. Katia Aveiro, Cláudia VieiraFernanda Serrano são algumas das figuras públicas que engravidaram depois dos 40 anos.

Se por um lado, as mulheres se sentem mais seguras no papel de mãe, por outro, existem maiores riscos associados à gravidez tardia, diz Joaquim Gonçalves, coordenador da Unidade de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Lusíadas Porto, de acordo com o site Lusíadas. O obstetra salienta que existe uma maior probabilidade de surgirem doenças genéticas ou abortos espontâneos numa fase inicial da gravidez. Por exemplo, «a Trissomia 21 tem uma prevalência de 1/ 2000 aos 34 anos, aos 35 anos é de 1/ 200 e aos 40 anos é de 1/ 50», diz.

Riscos da gravidez tardia:

1 – Envelhecimento dos óvulos: Há uma maior dificuldade em engravidar a partir dos 35 anos;

2 – Aborto Espontâneo: Há mais riscos de hemorragias e consequentemente abortos espontâneos;

3- Diabetes Gestacional: Engravidar depois dos 40 pode desenvolver um aumento dos níveis de glicose no sangue;

4- Alteração Cromossómica: Há maiores riscos de alterações dos cromossomas, levando a uma mal formação do bebé.

5- Prematuridade: O bebé pode nascer antes das 38 semanas;

6: Endometriose: O tecido do endométrio [membrana mucosa que reveste a parede uterina] pode crescer fora do útero;

Texto: Márcia Alves; Fotos: Pixabay e Shutterstock

 

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0