Saúde e Bem-Estar

Os 5 superalimentos de inverno: Batata-doce e laranjas são indispensáveis

11 Dezembro, 2019

Aprender a alinhar a alimentação com as estações do ano permite retirar todos os benefícios dos produtos da época. Descubra o que lhe oferecem os vegetais e frutos desta estação.

O outono é uma das estações mais ricas em alimentos com uma grande riqueza em vitaminas e pobre em calorias. Aproveite todos os benefícios e em pouco tempo sentirá diferenças no organismo.

Leia ainda: Os alimentos que não deve, em caso algum, colocar no microondas!

Batata-doce

É um dos alimentos mais ricos em beta caroteno. Trata-se de um hidrato de carbono complexo, mas de baixo índice glicémico, o que significa que sua absorção é mais lenta, liberando glicose na corrente sanguínea devagar. Rica em fibras, é fonte de ferro, vitamina A, B6, C e E, potássio e magnésio.

Fornece mais de 90 por cento das necessidades de vitamina A que o organismo necessita, sendo fonte de muitos minerais antioxidantes e ácidos fenólicos com ação anti-inflamatória. É estimulan-vitate do sistema imunitário com um grande valor na prevenção do cancro.

Ao adquirir, prefira as de casca macia e firme, sem marcas. As pequenas ou médias são mais tenras e mais saborosas. Podem ser usadas em sopas, saladas quentes, purés, ou assadas no forno.

Leia ainda: Estes são os alimentos que previnem as constipações

Citrinos

Apesar de poderem ser encontrados durante todo o ano em supermercados, os citrinos como as laranjas, limões, toranjas ou tangerinas sempre foram associados à chegada dos dias mais frios pelas concentrações de vitamina C que permitem, através do seu consumo, melhorar a imunidade do organismo.

Estes frutos são ainda ricos em fibras que auxiliam no alívio de problemas intestinais e têm também o poder de dar maior energia. Esta é a melhor época para o consumo, pois é quando ficam sumarentos e saborosos.

Abóbora

A sua principal riqueza nutricional está nos vários carotenoides contidos na polpa do fruto. É pobre em calorias, por conter cerca de 90 por cento de água, e é de fácil digestão. Contém também bioflavonoides,
que bloqueiam algumas hormonas relacionadas com o cancro, para além de esteróis que são convertidos em vitatemina D.

O facto de ser de fácil digestão contribui ainda para o bom funcionamento do intestino com propriedades laxantes e depurativas. São várias as variedades de abóbora, mas as mais consumidas em Portugal são, a gerimum, mogangas, porqueiras, menina, pau e gila. Muito versátil para uso culinário, entra na confeção de sopas, purés, a assados e diferentes tipos de sobremesas e doces.

Ruibarbo

É um dos vegetais menos calóricos. Tem inúmeras propriedades medicinais, mas que também permite confecionar pratos e sobremesas deliciosas. Segundo alguns estudos, contém propriedades semelhantes ao estrogénio. Tem sido usado para aliviar sintomas da menopausa e pode ser usado para combater problemas gástricos.

É anti-inflamatório e antibacteriano. Pode ser adquirido em alguns supermercados e lojas de produtos
naturais, mas apenas os caules se consomem, pois as folhas contêm uma alta concentração de ácido oxálico. É usado em tartes, bolos, compota ou chutney.

Beterraba

A sua cor forte indica que tem um enorme potencial antioxidante. Este tubérculo pode ser usado em regimes de emagrecimento porque, apesar do sabor adocicado e terroso, não contém gorduras e é pouco calórico.

Rica em vitamina A, a beterraba tem ainda fósforo, ácido fólico, potássio, magnésio e sódio. Ao ser consumida crua, o organismo beneficia da betaína, um aminoácido que ajuda a reduzir as inflamações. Tem uma ação desintoxicante do fígado que permite eliminar melhor as toxinas. Pode ser consumida em saladas, grelhada, cozida ou assada.

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top