Destaques

Seja a heroina da sua vida

8 Fevereiro, 2017

O receio de tomar a atitude que tanto deseja para mudar o rumo da sua vida impede-a de evoluir? Neste artigo, oferecemos-lhe a coragem de que tanto precisa. .

Ao longo deste ano deve impor a si própria  ter coragem e ser heroína. Está na hora de pensar em si, no que deseja e realmente quer. Seja feliz e coloque-se no topo da sua lista de prioridades , sem pensar primeiro nos outros. O importante é que quebre as amarras da subserviência para que ter tempo para atingir os seus objetivos. Saiba que é a única dona da sua vida e que só com determinação conseguirá evoluir seja profissionalmente, seja amorosamente. Sem o medo chegará longe e conseguirá realizar todos os seus objetivos. Quem diz isto mesmo é Teresa Marta, a CEO da Academia da Coragem, que ajuda todos os dias pessoas a perder o medo.”No seu étimo latino, a Coragem significa ‘Ação do Coração’, isto é, a capacidade de nos ouvirmos e de reconhecermos e seguirmos aquilo que de facto nos faz felizes. O que se passa é que no nosso dia-a-dia somos máquinas produtivas que seguem de ação em ação, sem conseguirem parar para se perguntar quais as coisas que fazemos repetidamente e que já não nos dão bem-estar, nem emocional, nem físico. Ou seja, a coragem é uma atitude fundamental para nos aliviar o sufoco e a ansiedade que carregamos na nossa vida. Leva-nos a sair da nossa zona de conforto, enfrentando os nossos medos (que 99 por cento são fruto da história que contamos a nós mesmas) e verificando que é possível sermos mais equilibradas e aumentarmos o nosso bem-estar quando nos desapegamos do que já não nos faz falta”.

Infelicidade afeta-nos cada vez mais

Apesar de as pessoas quererem viver viradas para o futuro e sonharem com o que de positivo podem conseguir, a realidade é que andamos cada vez mais infelizes. Mas porquê? Teresa Marta, especialista na matéria, explica a razão desta tendência que deve procurar contrariar no próximo ano. “A dificuldade em tomar decisões resulta de três aspetos principais: Do facto de existir uma enorme incongruência entre aquilo que desejamos e aquilo que achamos merecer. Eu posso desejar mudar de emprego para ganhar mais, por exemplo. Mas se no meu interior eu não me sinto merecedora disso, torno a minha decisão muito difícil e geralmente fico onde estou; Do peso representado pelas pessoas e pelas coisas que a nossa decisão vai afetar. Ou seja, raramente decidimos apenas por nós e para nós. Na nossa decisão estamos sempre condicionados pelos outros e pelas circunstâncias. No entanto, na grande maioria das vezes, o facto de ‘culparmos’ os outros ou as circunstâncias para não decidirmos é uma falsa questão. Trata-se, isso sim, de termos medo de libertar coisas, situações e pessoas sem os quais achamos que não conseguimos viver; Da culpa sentida por decidir seguindo o nosso coração ao invés da nossa razão. Nunca fomos ensinadas a decidir ouvindo o nosso desejo interior. Quando o tentamos fazer surge o medo de errar ou de magoar os outros. E isso prende-nos a situações e pessoa que já não nos fazem bem e condiciona a nossa felicidade”, diz a especialista.

Procure ajuda

Saiba, ainda, que não está sozinha nesta luta para ser feliz e colocar fim ao medo. Apesar de a maior parte do trabalho depender de si, existem pessoas que a podem ajudar a ganhar força e coragem para enfrentar os seus medos e lutar, sim, por ser feliz. Teresa Marta é CEO da Academia da Coragem, e ajuda-a a quebrar as suas amarras. É a própria que descreve as pessoas que devem procurar ajuda no sentido de ser feliz. Se faz parte deste grupo está na altura de procurar a ajuda necessária. “Pessoas que desejem implementar mudanças na sua vida e que não sabem exatamente por onde começar ou se essas mudanças representam um desejo honesto ou uma fuga a algo que não querem enfrentar. Pessoas que têm medo de tomar decisões e cuja autoestima condicione o seu sucesso. Pessoas que desejam ultrapassar os seus medos e começar a agir no sentido daquilo que as faz felizes. Os principais utilizadores do Coaching da Coragem são jovens em idade escolar (Coaching de Estudantes) e pessoas em períodos complicados na sua vida que desejam efetuar mudanças positivas (familiares, pessoais ou profissionais, sendo que as três áreas andam sempre em conjunto)”, diz Teresa.
O importante é que consiga resgatar a confiança em si mesma, bem como as suas capacidades inatas para fazer a mudança que tanto deseja na sua vida. Aprenda, de facto, a ser mais confiante e aumente a sua autoestima. Anule a sua culpa, trate-se a si mesma com carinho, respeite o seu caminho e sinta-se merecedora da liberdade que a fará livrar-se dos padrões opressores e dos medos que não a deixam avançar.

Teresa Marta é exemplo!

A criadora da Academia da Coragem é o exemplo perfeito de que a luta pela felicidade é o rumo a seguir. É que a própria criação deste espaço a coloca no papel de uma grande corajosa. “A academia surge após a minha saída das empresas onde passei mais de 20 anos como gestora. A minha vida era passada a correr de objetivo em objetivo, sempre com desejo de subir mais e de conseguir mais. Após várias circunstâncias complicadas que passei (em termos pessoais e de saúde) comecei a questionar-me sobre o sentido de toda a correria que levava. Voltei assim à faculdade e fiz Mestrado em Psicoterapia Existencial e de seguida a Certificação Internacional em Coaching das Motivações e do Comportamento. Saí então das empresas para o vazio financeiro e criei o Conceito da Academia da Coragem para ajudar pessoas a seguirem o desejo do seu coração apoiando-as em difíceis processos de mudança profissional e pessoal. No fundo o que eu mesma fiz”, assume.

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top