Amor e Sexo

Especialistas aconselham: Ser amiga do “ex”… porque não?

17 Novembro, 2019

regras

Quando a relação com o homem que um dia julgou ser o da sua vida chega ao fim, é possível mantê-lo na sua vida? Tudo depende da forma como termina, do respeito que ficou e do carinho que sentem.

Ser amiga do ex? O amor de anos acabou. E a amizade? Mantém-se? Muitas vezes constrói-se um muro para ser mais fácil fazer o “luto”. Mas será que tem de ser assim? Tirar alguém da nossa vida causa sempre um sentimento de vazio. Principalmente, se for a pessoa que um dia nos fez tão feliz e que pensámos acabar os nossos dias a passear de mãos dadas na praia.

Leia ainda: Pedro Teixeira e Ana Sofia são o novo casal da TVI

O coração, que fica sozinho, teima em “sangrar” e os olhos não saem do telemóvel à espera que ele toque, como se isso adiantasse de alguma coisa. A relação chegou ao limite e resta apenas o hábito de estarem juntos, a amizade e, em alguns casos, o respeito.

Maria João Abreu e José Raposo são exemplo de que é possível manter a amizade depois de um casamento. Separados há mais de sete anos, os dois refizeram a vida, continuam amigos e frequentam a casa um do outro com os seus respetivos, João Soares e Sara Barradas.

“Hoje em dia, o Zé já não me diz nada como homem. É simplesmente o pai dos meus filhos. A nossa relação terminou. Sou uma privilegiada porque o meu casamento durou 23 anos e meio. Mas estou felicíssima com o João e o Zé está felicíssimo com a Sara”, disse à Imprensa a determinada altura.

Leia ainda: Sapatos personalizados de bebés de famosas nasceram do amor de uma mãe pela filha

Raiva à mistura

Pegando no exemplo do ex-casal de atores, parece ser perfeitamente possível manter a amizade após uma separação. Ora vejamos, se depois de terminar uma relação, a intenção de ambos é manterem a amizade, uma vez que partilharam tanto tempo juntos, têm amigos em comum, há filhos ou família envolvida, “será necessário ter bem definido o que sente por ele e saber que ele também está bem resolvido”, defende a psicóloga Laura Ventura. Há pessoas que conseguem continuar a falar-se, mas outras não. Até porque uma separação causa sempre dor e sofrimento.

A psicóloga acha difícil haver uma amizade.

“Acho que é quase impossível manter a amizade depois de terminar. Pode haver um sentimento de carinho, por tudo o que passaram juntos. Mas ao mesmo tempo pode haver raiva à mistura… mas que não passa de dor”, defende a especialista.

“Depois de se fazer o ‘luto’ da relação, passar pelo processo de aceitação, poderá ficar carinho um pelo outro. Uma amizade, e sincera, poderá acontecer, mas muito dificilmente”, interrompe, para depois acrescentar:

“Se formos ver o significado de uma amizade, em que uma das bases é a confiança, se calhar isso também acabou.”

E praticar sexo?

Há truques para saber levar o nosso ex-namorado e poder manter uma amizade. A separação é difícil de superar tanto para quem acaba como para quem é rejeitado, a outra pessoa não desaparece, segue a vida sem ser connosco, nós temos de aprender a viver sozinhos. E, por vezes, a solidão é o nosso pior inimigo.

Uma mensagem aqui ou um telefonema acolá pode piorar ou mesmo afastá-la de vez do seu “ex”. O sexólogo Quintino Aires alerta para o perigo de se envolver com o “ex”.

“Acho um erro que voltem a praticar sexo depois de separados, vai atrasar o “luto” e vai prolongar- se uma ilusão que atrasará a possibilidade de encontrarem alguém e refazer a vida novamente”, defende o sexólogo.

A psicóloga Patrícia Januário acredita que pode ser possível ex-namorados darem-se bem, depende “sempre de ambas as partes envolvidas e do quão arrumada está a situação”. “Se é possível? Sim. Se tem de ser muito bem ponderado? Também, para que se percebam os limites e que seja uma relação saudável”, afirma.

Não confundir os sentimentos

Algumas de nós já lidaram de perto com fins de namoros de amigas em que a amizade entre o ex-casal tentou manter-se, mas apenas para que um deles se mantivesse próximo. Ou seja, é comum que queira manter a amizade, mas porque quer manter- se próxima dele porque ainda o ama. Tal pode acontecer sem que se aperceba.

Segundo especialistas, a perda traz um desconforto existencial e, inconscientemente, nós fugimos dessa tristeza e dor do dia-a-dia. Ficar próxima do “ex” vai dar-lhe a sensação de que não acabou.

Texto: Ana Lúcia Sousa

 

 

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 0 | 0

 
Top